Por que não devemos misturar resíduos orgânicos com rejeitos?

Se você ainda mistura todo o seu lixo ao descartá-lo, esse texto é para você!

O descarte correto de resíduos e rejeitos é muito importante para evitar diversos tipos de prejuízo ao processo de reciclagem, ao meio ambiente e até mesmo a nossa saúde. Além de contribuir para a economia de recursos como água e energia, o descarte consciente também acarreta na diminuição dos custos de processamento do lixo e também auxilia na adubação natural do solo.

Em grande medida, o processo de decomposição dos orgânicos que é descartado junto aos rejeitos para o aterro sanitário, resulta na contaminação do solo com o chorume e na emissão dos gases do efeito estufa, como o metano, causando desequilíbrio na atmosfera. Além disso, esses espaços tornam-se locais ideias para a proliferação de insetos e animais que podem transmitir doenças.

Contudo, antes de mais nada, você sabe a diferença entre orgânicos e rejeitos?

Os orgânicos são os itens que podem ser reaproveitados e/ou reciclados pela compostagem. A partir dessa classificação também podemos diferenciar os resíduos orgânicos como os restos de alimentos e outras matérias orgânicas (folhas, podas, etc.). Os rejeitos, por sua vez considerados lixo comum, são resíduos sólidos que não são viáveis para a reciclagem – materiais que tiveram todas as possibilidades de reaproveitamento esgotadas ou seu design não atende aos padrões de reciclabilidade, ou seja, já sai da indústria com destino certo ao aterro sanitário (como certos plásticos).

Agora que você já sabe diferenciar os rejeitos dos demais tipos de resíduos, veja porquê é tão importante realizar a separação entre os resíduos orgânicos e os rejeitos, uma vez que geralmente são depositados na mesma lixeira, o que confere um grande problema ambiental, sanitário e econômico.

Os resíduos orgânicos precisam ser separados de todos os demais tipos de lixo para que, depois da sua decomposição, possam transformar-se em adubo por meio do processo de compostagem.

Essa prática de separação possui várias vantagens. Além do aproveitamento máximo dos resíduos, aumenta o tempo de vida dos aterros sanitários e diminui diretamente o impacto ambiental gerado. Outra vantagem é a elevação do índice de reciclagem e reaproveitamento do lixo orgânico que foi destinado ao local correto, reduzindo os custos com os processos envolvidos na reciclagem. Ademais, cabe destacar o impacto positivo em relação às pessoas que trabalham com os resíduos, dado que se verifica uma melhora nas condições de trabalho e na redução dos riscos à saúde.

Apesar de o assunto estar constantemente em pauta, muitas pessoas ainda acreditam que sua responsabilidade em relação ao lixo acaba assim que o mesmo é retirado de suas casas. Consequentemente, não se importam com as etapas prévias – especificamente, a separação e destinação correta dos materiais. Entretanto, esse é um problema muito maior, passível de impacto ambiental e na saúde pública.

De acordo com os últimos dados divulgados pelo governo brasileiro, quando os recicláveis são misturados às demais categorias de resíduos, apenas 1% chega a ser reciclado. Contudo, com a separação correta e consciente, mais de 70% dos resíduos é reaproveitado. Isso justifica a necessidade de que todos nos preocupemos com o descarte correto dos resíduos.

Como fazer a separação e destinação correta dos resíduos orgânicos?

 

22

Para um bom início, habitue-se a separar os resíduos em sua casa em três frações, uma para os materiais recicláveis, uma para os resíduos orgânicos e outra destinada aos rejeitos.

Na lixeira de resíduos orgânicos devem ser depositados itens como restos de comida, cascas de frutas, etc. Às lixeiras de rejeitos, por sua vez, devem-se destinar os materiais como papel higiênico, fraldas, plásticos fragmentados e sujos, etc. Seguindo essas instruções, dificilmente você misturará seus resíduos.

Para encaminhar corretamente os resíduos orgânicos de sua casa, pratique a compostagem doméstica. Essa consiste em uma forma sustentável de minimizar os impactos no meio ambiente causados pelo lixo que produzimos. Nesse sentido, existem duas formas de tratar os resíduos orgânicos, são elas: a vermicompostagem, também conhecida como “minhocário”, e a compostagem seca. Os dois métodos são eficientes e podem ser facilmente implementados dentro de casa.

Além de fornecer um destino correto ao seu resíduo orgânico, você ainda produzirá um adubo de qualidade e ajudará a reduzir o volume de lixo doméstico gerado – o que representa grande parcela de todo o lixo produzido no Brasil. Além disso, ganhará novos hóspedes em casa, as minhocas! Eficientes no processo de decomposição dos orgânicos, elas aceleram a compostagem. Em relação ao adubo, deixamos uma dica: use-o como incentivo para ter uma horta orgânica ou deposite em árvores nas praças e parques. A natureza agradece!

 

Na loja virtual da Beegreen você pode comprar as composteiras domésticas da Humi, que possuem inúmeras qualidades e vão facilitar o seu dia a dia para a compostagem doméstica.

 

32

Você pode comprar elas aqui!

Listamos alguns de seus benefícios da compotesira Humi para você:
  • Não produz cheiro
  • Pode ficar na chuva
  • É lisa por fora, facilitando consideravelmente a limpeza externa da composteira
  • Possui pés (vantagem muito relevante)
  • Possui uma ilha na base coletora para as minhocas subirem para a caixa digestora e não morrerem afogadas
  • Possui queda d’água na base coletora direcionando 100% líquido para a torneira
  • Possui queda d’água na caixa digestora direcionando o excesso de líquido para um dos lados na digestora debaixo, diminuindo o excesso de umidade da caixa do meio, fazendo com que o húmus não esteja encharcado no momento de sua retirada
  • Possui chapas de metal embutidos nas postas dos pés com furos projetados para a fixação de rodízios, caso seja de interesse do usuário
  • A tampa possui 2 garras na parte interna que apoiam a tampa na posição vertical na borda da caixa digestora. Isso facilita muito o manejo diário do sistema, quando se coloca os resíduos orgânicos na caixa digestora
  • As paredes laterais da caixa digestora possuem vários furos de 1,5mm de diâmetro para proporcionar troca de oxigênio entre o ambiente interno e o externo. O tamanho dos furos é pequeno o suficiente para impedir a entrada de mosquitos
  • A tampa também possui furos de 1,5mm de diâmetro. O designer desses furos foram projetados para possibilitar a troca de oxigênio, e ao mesmo tempo impedir a entrada de água de chuva
  • As caixas entram uma dentro da outra, diminuindo volume de estocagem e envio, consequentemente reduzindo custo de frete
  • Possuem melhor acabamento

 

42

Como fazer a destinação correta dos rejeitos?

 

52

Como anteriormente aclarado, os rejeitos são aqueles materiais que não possuem mais possibilidade de reciclagem e/ou reaproveitamento. Contudo, cabe destacar que os rejeitos possuem diferenças entre si: podem ser eletrônicos ou de plásticos (nem todos os plásticos são recicláveis) e cada um possui uma destinação correta. Por exemplo, aparelhos celulares que já não são utilizados podem ser devolvidos ao fabricante ou destinados a locais para reaproveitamento das peças.

O importante é que, ao realizar o descarte em sua casa, você separe os rejeitos do restante do lixo e analise o possível destino de cada um. A partir disso, caso não haja mais opções de reaproveitamento para determinado material – rejeitos –, descarte-o no lixo não reciclável, separando-o dos resíduos orgânicos.

Apesar de o processo de separação do lixo parecer complicado, o hábito contribui para que, com o passar do tempo, essa tarefa torne-se fácil, simples e rápida de se fazer. Um pouco de esforço somado à classificação correta dos materiais (resíduos sólidos, orgânicos ou rejeitos) contribui enormemente para a preservação do planeta e, sem dúvida, para o bem-estar da população em geral.

2 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Todos os produtos

Precisa de Ajuda?